quinta-feira, 12 de agosto de 2010

CASAMENTO RELATIVO

Fofoca histórico-biográfica. Imaginem se Ratinho, Sonia Abrão. Marcia Goldsmith ou Cristina Rocha ficam sabendo do babado!!! Daria ótimo tema para um "CASOS DE FAMÍLIA"! rs
______________________
CASAMENTO RELATIVO

Em 1914, às vésperas da primeira guerra mundial, Einstein se mudara a pouco de Zurique para Berlim com a primeira esposa Mileva Maric e os dois filhos crianças. Sua vida profissional e financeira melhorara muito com a mudança para Berlim - a capital mundial da ciência - porém, o casamento há muito tempo já estava desgastado e nesse ano de 1914, à beira de um ataque de nervos.
Foi nesse estado de pressão psicológica, alienação emocional, hostilidade pessoal, um novo amor, como é tão humano nas relações desde Shakespeare... que Einstein, 35 anos, já amante da prima de primeiro grau Elsa, 36, em Berlim, escreveu este bilhete proposta contratual e "brutal ultimato de cessar-fogo" para a esposa Mileva Maric:

Condições:

A. Você garantirá

1. que minhas roupas sejam mantidas em ordem;
2. que receberei três refeições regularmente, em meu quarto;
3. que meu quarto e meu escritório sejam mantidos em ordem, e sobretudo que minha escrivaninha seja
deixada apenas para meu uso.

***
B. Você renunciará a qualquer relacionamento pessoal comigo que não seja completamente necessário por razões sociais. Especificamente, você se absterá de

1. minha companhia em casa;
2. sair ou viajar comigo.

***
C. Você obedecerá aos seguintes pontos em seu relacionamento comigo:

1. não esperará nenhuma intimidade de mim, nem me censurará de nenhum modo;
2. parará de falar comigo quando eu assim exigir;
3. deixará meu quarto ou meu escritório imediatamente, sem protestar, quando eu assim exigir.

***
D. Você aceitará não me hostilizar na presença de nossos filhos, nem com palavras nem com atitudes.

"Mileva Maric aceitou os termos. Quando Haber ( um cientista amigo do casal) entregou a resposta a Einstein, este insistiu em escrever a ela outra vez, "para que você fique completamente esclarecida sobre a situação". Ele estava preparado para viver de novo com ela, "porque não quero perder meus filhos e não quero que eles se percam de mim". Estava fora de questão ter um relacionamento "amigável" com ela, então procuraria uma relação "profissional". "Os aspectos pessoais devem ser reduzidos ao mínimo indispensável", disse. "Em troca, asseguro um comportamento adequado de minha parte, o qual eu teria com qualquer estranha."

in "Einstein - sua vida, seu universo", de Walter Isaacson, 2007
In: http://versoeprosa.ning.com/profiles/blogs/casamento-relativo

Um comentário:

LILIANE disse...

Izabel,
Que sufoco....
Pior que eu conheço um caso praticamente igual.
Por que será que as coisas chegam nesse ponto?
Vou parar pra respirar um pouco.
Grande beijo