quinta-feira, 21 de abril de 2011

resposta pro Chico

sem me afobar ter que esperar milênios
e guardar no fundo de um armário
o amor que hoje não posso te dar
- terei eu esse frio sangue?
de aguardar um escafandrista chegar
e num futuro remoto e distante
numa cidade submersa explorar
minha casa
meu quarto
minhas coisas
meus desvãos
aguardar e aguardar
que sábios decifrem
o eco de minhas palavras
os fragmentos de meus poemas
tendo de me contentar
que futuros amantes se amem
sem saber
com o amor que um dia
deixei pra você?

- sobre-humana paciência...

2 comentários:

Entrevidas disse...

Aguardar e aguardar. Lindo texto pois devemos sempre esperar. Feliz páscoa. Beijos

Wílliam Venegas disse...

Gracias por venir a mi blog.
Eres bella poeta cósmica.