sábado, 10 de dezembro de 2011

da inércia


despiu-se
mas foi do gelo
daquele vazio vintém
arrombador tenaz
de suas frestas
farejador sabujo de
suas possíveis rotas
invasor
em cada uma de suas festas
[ontem]
esse maldito investidor
esvaziou seus potes
avidamente secou seu leite
[que um dia foi farto]
deixou nódoa indelével
na brancura de seu lençol
e...quem diria...
provocou curto-circuito
naquele seu cáustico
[e íntimo]
sol nascente...
[hoje]
um burburinho moveu-a
[necessidades
e urgências]
de [re]amar e
remar a vida
reatar a lida
em direção
outra...
que não a mesma
...que não a morte

Izabel Lisboa

5 comentários:

Luiz Alfredo Nunes de Melo disse...

Oh! linda poeta
me perdoa se te bajulo
se florbela fosse viva
sei que não gostaria de mim
O lorca e o drummond
não iam gostar deste sabujo
porque mesmo encantados
vivo bebruçado em seus versos
e conversando com eles
não os deixo em paz
A Rosasolidão parece
que gosta de mim
de vez enquando
aparece no meu blog
e me tira da solidão

Que poema
minha amada poeta
exatamente quando lia
um texto do Ivo Tonet
sobre o mal do Capitalismo
e ainda acordei
o meu maiakovski que dormia
e começou a escrever
poemas encarnados
com sua foice revolucionária.

um abraço poético

Luiz Alfredo - poeta.

Sonhadora disse...

Minha querida

Por vezes temos fome de amor e sede de vida...e apetece apenas despir as roupas velhas e vestir Primavera.
Como sempre adorei ler-te e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora

Izabel Lisboa disse...

Obrigada, Luiz e Sonhadora, pela delicadeza dos comentários feitos! Que bom saber que vocês não desistem de mim! rsrsrs
Retribuo com um beijo e o desejo de muita inspiração, sempre!
Izabel

Pois Ze disse...

Olá cara amiga Izabel, como vai????
Peço imensa desculpa pela loooonga ausência, mas apesar da falta de tempo, trago sempre no coração as seguidoras PoisZé!!
Aqui deixo a minha mensagem de Natal:
O Natal deveriam ser todos os dias, para sempre, não para apenas um dia. Hoje e sempre é preciso amar, partilhar, dar, receber, do maior, ao menor e mais simples presente, o bem que você faz para os outros será o bem que você faz a si mesmo ... FELIZ NATAL!!!
Abraços, Zé Maria

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida

" Das alturas orvalhem os céus,
E as nuvens que chovam justiça,
Que a terra se abra ao amor
E germine o Deus Salvador"...

Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que te amo fraternalmente...
Seja muito abençoada e feliz, amiga!!!
Bjm de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coraçãozinho....

"Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

e então saberás que eu me feri e também me curei."

Tagore