quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

ordinariamente














os sentidos
nos enganam
os amores
nos tutelam
os prazeres
nos aplacam
as leis
nos reprimem
os sinais
nos alertam
os cálculos
nos ajustam
os olhos
nos delatam
as máscaras
nos ocultam
já que...
os sentidos
nos enganam
nos enganam
e nos enganam...

Izabel Lisboa

Um comentário:

Kinha disse...

e como enganam...