quarta-feira, 27 de abril de 2011

caleidoscópio

eu vi
um cidadão do mundo
falando de solidão
num café em Paris

eu vi
um cidadão do mundo
mendigando no calçadão
roendo um pedaço de pão

eu vi
um cidadão do mundo
reclamando seu quinhão
num programa de calouros da televisão

eu vi
um cidadão do mundo
no boteco tomando cachaça
gastando seu último tostão

eu vi
um cidadão do mundo
corpo e alma em inquietação
sendo apenas mais um na perdida multidão

Izabel Lisboa

4 comentários:

Sonhadora disse...

Minha querida

Infinitamente triste...infelizmente verdadeiro, um poema maravilhoso que adorei ler e deixo um beijinho.

Sonhadora

Luiz Alfredo Nunes de Melo disse...

Vi a escola
ensinando uma educação
cidadã
para os filhos dos operários
para os meninos da periferia
para a menina de programa

Li sua cartilha solidaria
seus ensinamentos democráticos
seus princípios constitucionais
sua pedagogia da libertação

educação para todos
direito ao voto universal
tratamento igualitário

Quando sai da escola
vi um menino tomando ópio
li o poema caleidoscópio
da poeta Isabel Pessoa
uma foto do Che Guevara
morto
numa banca de jornal

Um mendigo pedido pão
realmente
enquanto abria o sinal.

Luiz Alfredo – poeta.

Wilden Barreiro disse...

eu vi
uma cidadã do mundo
tecer palavras com a própria mão
para despertar sentidos no meu coração

beijos, doce Izabel!

Izabel Lisboa disse...

Beijos e obrigada pelos comentários!